Encontrando meu Complemento Divino

PUBLICADO EM: POR: Michaela

Julho de 2015 foi uma época em que as minhas experiências multidimensionais se intensificaram muito. Todo o ano de 2015 foi muito intenso para mim em termos de experiências multidimensionais, tanto acordada durante o dia quanto a noite visitando outras realidades paralelas, e acredito que isto tenha se dado principalmente porque foi um ano em que Gaia recebeu muitas infusões de energias multidimensionais de ativação para sua ascensão.

Depois da minha fusão com meu Eu Superior, o restante do mês passou comigo sentindo muita dificuldade em permanecer focada na minha vida do dia-a-dia. O que eu antes achava que era a minha imaginação, agora começava a fazer mais sentido! Era bem assim:

Bastava eu estar fazendo alguma atividade mais monótona para que o processo começasse. Se eu estivesse, por exemplo, fazendo alguma atividade repetitiva que não demandasse muito da minha atenção, ou ouvindo música, a minha "imaginação" voava, por exemplo, e eu me via em algum lugar etéreo conversando com os mentores. E a "imaginação" era sempre muito real, eu realmente via o lugar, as pessoas, e ficava engajada naquela realidade. Quanto mais tempo eu passava naquele lugar, mais eu me sentia imersa naquela realidade e menos nesta em que o meu corpo estava, e eu sentia que ia acontecendo uma transferência de consciência, que era também uma transferência de atenção, de uma realidade para a outra, até que depois de um tempo eu esquecia que aquela realidade não era a "real" (depois eu fui entender que ambas as realidades eram as reais!). Neste momento, eu já me sentia completamente naquela outra realidade, sentia meu corpo físico, sensações de tato, cheiro, tudo era perfeito, e não lembrava que eu estava também em outro lugar. Sempre tomava um susto quando eu voltava para onde o meu corpo estava, pois como tinha me esquecido dele, eu não lembrava mais daquela realidade. A sensação era de sonhar que estava dentro de um sonho. E quando eu acordava do primeiro sonho eu acreditava que aquela era a minha realidade, então quando acordava de novo eu me sentia muito surpresa!

As energias estavam se intensificando cada vez mais em preparação para o Portal 8-8-8 de Leão, e Agosto chegou trazendo mais atualizações energéticas. Na primeira semana de Agosto eu acordei me sentindo muito tonta. Tentei sair na rua para ir ao trabalho, mas não consegui: tive que voltar pra casa. Em casa os mentores me explicaram que eu estava recebendo um forte download de energia e que seria bom se eu pudesse passar o dia descansando para ajudar no processo. Então eu fiz exatamente isto, e fiquei deitada a maior parte da manhã.

De tarde, já me sentindo melhor, eu sismei em sair na rua. Eu sentia que ainda não estava 100% normal, mas como sou muito teimosa, eu me arrumei e saí do mesmo jeito rsrs. Caminhando pela rua, meio tonta ainda, eu não tinha nem saído do meu quarteirão, quando vi um homem parado no meio da calçada, há uns 6 passos de mim, e ele olhava para mim. Ele estava usando roupas normais, camisa toda branca e calça jeans, mas tinha alguma coisa diferente em relação a ele. Talvez a forma como ele me olhava. Eu conseguia sentir o que ele estava sentindo, e era um misto de profundo carinho e um pouco de preocupação por mim. Ele era magro, moreno claro e aos meus olhos ele me pareceu muito bonito. Eu sou empata e consigo sentir o que as outras pessoas estão sentindo, mas nunca tinha acontecido naquela intensidade antes: parecia que o homem estava dentro de mim, porque eu sentia o que ele sentia com todas as forças no meu corpo. E de alguma forma eu sabia que ele sentia o mesmo de mim também. Eu senti uma pressão e uma energia forte no meio da minha cabeça e no meio da minha testa durante todo o encontro com ele.

Eu fiquei parada no meio da calçada só olhando pra ele e tentando entender o que que naquele homem era tão diferente, quando duas pessoas vieram pela rua na minha direção e passaram do lado dele. Então eu pude compará-las com ele e eu entendi: apesar de ele parecer extremamente real e extremamente sólido para mim, ele não estava realmente ali. As pessoas não viram ele, e eu entendi que eu o estava vendo com a minha vidência (meu terceiro olho aberto), simultaneamente em que estava percebendo o mundo 3D ao meu redor com os meus olhos físicos abertos. E isto, daquela forma tão real que eu cheguei a confundí-lo com uma pessoa encarnada, era a primeira vez que acontecia comigo!

Então ele começou a falar comigo. Ele falava com a voz dele, mas eu sentia cada palavra como se a comunicação estivesse sendo simultaneamente telepática e empática (com emoções no meu corpo). Ele estava tentando me convencer a voltar para casa e descansar. Eu não posso explicar aqui o motivo da minha saída de casa naquele dia, mas era muito importante para mim. Eu decidi ignorar os argumentos dele e tomei toda a coragem que eu pude para continuar andando e passar por ele. Não olhei para trás (tive medo! haha) e continuei o meu caminho.

Ele estava certo, eu deveria ter ficado em casa e descansado. Passei muito mal na rua e tive que pedir ajuda para os mentores para não vomitar ou desmaiar com o esforço da caminhada e consegui voltar pra casa no final do dia. Eu não sabia quem ele era, mas os nossos próximos encontros foram esclarecendo aos poucos para a minha cabeça dura, apesar de eu ter lutado muito para acreditar, que ele era o meu Complemento Divino.