Tornando-me um portal

PUBLICADO EM: POR: Michaela

Os meses de trabalho de ancoramento de luz foram passando. Nosso grupo havia começado há poucos meses, no início do ano, mas conforme íamos realizando o trabalho, íamos assumindo mais responsabilidades e o nosso trabalho foi progredindo. Foi bem incrível como as coisas aconteceram rápido! A cada meditação, uma tarefa nova se apresentava para nós, pelos mentores, através do companheiro do nosso grupo que canalizava. Depois de um tempo eu comecei a ver pela vidência não só os mentores, mas outros Seres também, que iam ao parque nos ver. A emoção a cada visão dessas era muito grande! No começo eu duvidava se estava realmente vendo tudo aquilo. Demorou um tempo até eu passar a confiar nos meus sentidos. E ajudava também que sempre mais algum de nós também via algo que complementava ou confirmava as nossas visões durante o trabalho. Estávamos vivendo tempos emocionantes!

Em Agosto abrimos um segundo portal em um outro parque, próximo ao primeiro portal. Este segundo portal ficou "sem uso" depois que o 8-8-8 do portal de Leão passou, até que em Outubro, eu comecei a ter umas visões. Nestas visões, eu tinha sensações de conectar-me a outros seres. Era uma sensação boa, de fazer contato e estar com eles. Durante estas visões eu sentia que flutuava no vazio sem tempo, e tudo era luz e paz, e estes Seres estavam lá, flutuando comigo. Eu sentia eles no meu chackra cardíaco, como se nós estivéssemos nos comunicando pelo sentimento, e só isto bastasse. Então um dia, um mentor me disse que eu teria q estar no dia 15/11 de volta no segundo portal, e que eu faria algo muito importante. Eu concordei e mantive segredo. Para a minha surpresa, o meu grupo de meditação marcou o nosso trabalho de Novembro para a mesma data, juntamente com o grupo do Sul. Então eu entendi que o trabalho seria em conjunto. Eu só ainda não sabia exatamente qual seria este trabalho.

Uma semana antes, eu comecei a ter sonhos em que eu me via flutuando em um espaço azul e da cintura para baixo, no lugar do meu corpo, eu era como um vestido longo branco. Eu não tinha pernas, só aquele "vestido", que era como um tubo que descia bem fundo.

Chegou o dia da missão, eu tinha um palpite do que iria acontecer no parque: achei que iria me unir aos meus outros Eus Multidimensionais e enviar a nossa luz multidimensional para Gaia. Era o que fazia sentido, pois eu já tinha me conectado aos meus outros Eus e estava "treinando" ancorar uma quantidade grande de energia para Gaia. Mas não foi bem o que aconteceu.

No ônibus a caminho do parque, senti a presença de um mentor que me pediu permissão para preparar o meu corpo. Eu dei permissão e agradeci a ajuda. Vieram outros, eram como cirurgiões, e eles começaram a limpar o meu corpo de todas as densidades e puxar fios que saíam do topo da minha cabeça e que se pareciam com cabos de fibra óptica, pois eram da grossura de um dedo e tinham luz no seu interior. Esses fios ficaram soltos no topo da minha cabeça, como antenas. Os mentores também me pediram para entoar um mantra, que eles me falaram na hora, e ao entoa-lo eu sentia o meu corpo todo se energizar. Comecei a ficar ansiosa com tudo aquilo, e neste momento, do meu lado no ônibus, senti a presença de Mãe Maria, e ela sussurrou no meu ouvido: "Acalme o seu coração", e a voz e energia dela relaxaram todo o meu corpo.

Chegando no parque, procurei pela mesma árvore da primeira vez, do dia que abrimos o portal. Fiquei surpresa com a minha emoção e com a emoção dela no nosso reencontro! Não sabia que eu ia ficar tão emocionada em revê-la. Ela me disse: "senti sua falta", eu a abracei, mas não tivemos muito tempo juntas, pois pela vidência eu via que os outros grupos já começavam seus trabalhos. Então me sentei de costas para ela e comecei também.

O TRABALHO (minhas anotações do ano passado, na íntegra):

Os guias estavam comigo e iam me dando dicas do que fazer quando eu titubeava. Iniciei me colocando disponível a todos os Seres de luz, a Deus Pai-Mãe e a toda a Federação e Seres que estavam trabalhando pelo projeto de ascensão humano-planetária de Gaia, e disponível e acessível também aos elementais e a Gaia. Vi um Ser leonino que sorria para mim e senti que alguns Seres se conectavam/comunicavam comigo. Sabia que a minha missão ali era ancorar luz multidimensional, mas para minha surpresa, não iria ancorar a luz dos meus Eus Multidimensionais, mas sim de todo e qualquer Ser que desejasse se conectar a Gaia ali, naquele momento, através de mim. Um a um os Seres foram se comunicando comigo e eu os convidava a me enviarem suas essências, que eu recebia na forma de pequenas folhas de luz dourada que chegavam até mim, até as minhas antenas estendidas no topo da minha cabeça. Tentei me conectar ao núcleo de Gaia para entregar aquela energia, mas para minha surpresa (mais uma surpresa! rs) a energia não deveria ser entregue ali e sim na crosta, na superfície do planeta! Senti que meu corpo se trasformava em raízes frondosas e grossas e de meu corpo se irradiava toda aquela energia recebida e ia inundando, primeiro o parque (no que percebi que a euforia e barulho das pessoas se silenciava e dava lugar para o silêncio e calma, as crianças e até os animais ficaram calados! (e havia muitas crianças no parque naquele dia), depois para o Rio de Janeiro inteiro, depois a América do Sul e continuou transbordando para os mares e além. Mais e mais Seres foram me enviando seus “pacotes” de energia e se conectando a Gaia através de meu corpo, e senti num momento que eles, através de mim, podiam experienciar como era a sensação de estar aqui, como era a superfície, e era bom. Quando a energia era tamanha que cobriu todo o globo, senti que de onde estavam eles começaram a vibrar, elevando suas frequências e da mesma forma senti que Gaia tambem elevava a sua frequência, em conjunto com eles. Eles se tornavam cristalinos e elevavam a frequencia de Gaia, que também se tornava cristalina e transmutava para um planeta azul bem claro, transparente e esbranquiçado, mas lindo!

Junto com seus pacotes de energia senti que muitos também enviavam o seu amor e senti a gratidão e a felicidade de Gaia, de receber todo aquele amor e o apoio e carinho de todos! Foi uma sensação muito forte e quase verti em lágrimas, emocionada. Senti que os seres pensavam: “Somos Gaia”, como que dizendo que haviam unido suas essências à Dela. Assim, vibrando, permanecemos muito tempo. Vi que em alguns lugares com esta elevação de frequência alguns humanos “perdiam uma casca em forma de corpo” e algo luminoso dentro deles surgia. Vi também animais nesta situação e vi os elementais vibrarem cristalino. Vi inclusive a terra (chão) vibrar cristalino! Senti vontade de colocar o Mantra Cristalino para tocar com um fone e fiquei ali ouvindo a música e recebendo os seres de luz e irradiando sua luz através do meu corpo.

Quando pareceu que havia terminado, vi pela minha tela mental que um grupo de Seres se aproximava e eu conversei com eles. Senti que era difícil “traduzir” para palavras o que estávamos conversando, mas eu entendi tudo e algumas partes eu consegui traduzir em palavras para lembrar. Eu os perguntei se eles estavam ali para se conectar com Gaia. Eles responderam: “Não, estamos aqui por você”. E eu respondi: “Por mim?” Conversamos mais algo que não consegui traduzir para palavras e sei que lhes disse: “Eu gostaria de poder sempre servir como canal para todos os seres que quiserem enviar suas luzes para Gaia”. Eles me disseram: “É isto que você quer?” E eu disse “Sim, é isto que eu quero”. E então o líder deles se aproximou de mim, se abaixou e colocou a mão no meu ventre e senti que ele fazia algo, passava energia.

Não lembro como a conversa terminou e não lembro de tê-los visto sair. Tive um lapso de tempo em que eu tenho consciência de que havia se passado tempo, mas eu não sabia quanto tempo poderia ter passado. Quando dei por mim, eu estava ali sentada embaixo da árvore, e quando olhei para o relógio vi que já estava tarde, eram quase 11:30hs e eu queria muito ir no Parque Lage abraçar os outros do grupo! Terminei com meus guias, agradecendo, fiz uma oração do Pai Nosso e Uma Ave Maria e encerrei com a Oração de São Francisco, pedindo que sempre possa ser um instrumento da luz e de Deus Pai-Mãe para todas as missões que Gaia e a Federação precisar, recolhi tudo e parti para o Parque Lage.