Limpeza de Gaia intraterrena

PUBLICADO EM: POR: Michaela

Tive esta visão no dia 17/11/2015. Segue texto que guardei, na íntegra:

A limpeza das energias densas de Gaia continua ganhando forças com as vibrações de energias trazidas pela chuva de meteoros Leonídeos. Hoje, lá pelas 10 horas da manhã, vi um local que parecia uma réplica das cidades aqui de cima, só que era mais escuro, cinza. As ruas eram de cor cinza e barro, haviam construções, prédios como aqui em cima e até algumas árvores, mas sem folhas. Vi que havia muita ventania e que esta ventania varria tudo, levantando poeira, como se um tornado estivesse passando pelo local. Os ventos se intensificavam e os prédios, as ruas, as árvores, todo o cenário parecia feito de areia e ia se desmanchando, se dissolvendo.

Vi seres correndo para se abrigarem, eles se refugiavam em pequenos grupos dentro dos prédios. Alguns que não conseguiam chegar eram sugados por esta ventania e saíam voando para cima. Eles sentiam medo, apesar de saber que não corriam risco em relação as suas constituições (seus corpos não sofreriam nenhum dano). Senti o que sentiam e o que pensavam, em suas mentes pensavam: “meu mundo está se dissolvendo”. Vi que os seres abrigados dentro dos prédios observavam aquela ventania dissolver tudo de fora como castelos de areia sendo desmanchados e sabiam que enquanto continuassem ali os ventos não os pegariam, mas os topos dos prédios também começavam a se dissolver. Aqueles seres eram muito magros, seus corpos eram como filetes de energia muito escura, quase sem forma.

Do lado de fora, vi outros seres mais corpulentos (não gordos, somente seus corpos tinham volume normal de uma pessoa esguia, tinham forma) e seus corpos não eram tão escuros. Estes não fugiam, sentiam uma certa apreensão mas lutavam contra ela e deixavam que a ventania varresse seus corpos. A medida que ia fazendo, vi que algumas pequenas placas escuras e filetes de fumaça iam se despendendo, de dentro e da superfície de seus corpos, e iam sendo levados pelo vento. Ao acontecer esta limpeza vi que iam sentindo um certo alivio e nos casos de alguns vi que inclusive algumas placas escuras que eram removidas deixavam transparecer um brilho de luz em seu interior. A impressão era que eram seres sujinhos de lama, mas à medida que a lama era removida era possível ver o brilho dourado de suas essências que estava escondido por debaixo.

Ao mesmo tempo, eu podia ver a cena de cima, de um local alto, muito claro, que parecia que estava em cima das nuvens. Ali, eu estava com um grupo de amigos muito tranquilos, vestíamos vestes largas e leves e o ar ali era bem mais leve, fácil de respirar. Ali de cima, junto com o meu grupo de amigos, a cena me parecia completamente diferente.

O que embaixo era medo e desolação visto por cima era uma cena linda! Eu via Gaia e ao redor de toda ela vi que uns filetes de poeira de cor marrom iam flutuando calmamente para fora do planeta. Parecia fumaça, mas era como se tivesse peso, como umas nuvenzinhas densas feitas de minúsculos grãos. Aquela fumacinha marrom subindo me dava uma sensação de muito alívio e uma felicidade que não consigo descrever. Eu sentia gratidão por aquela cena linda e amor profundo em meu coração.

Nós abençoávamos aquela limpeza, e sentíamos cada vez mais paz, e o ar cada vez mais limpo, e nossos corações vibravam cada vez mais em amor, chegou num ponto de eu sentir pontadas de dor na minha região do coração.

Vimos os seres que estavam sentindo medo e juntos fizemos uma oração para eles, enviamos força, luz e conversamos com eles para que eles não tivessem medo, dizíamos que eles não estavam sós, desamparados, que nós os amávamos muito e estávamos com eles.

A quem nunca errou, que atire a primeira pedra. Se todos nós já nos arrependemos de alguma coisa então não podemos julgar quem está no erro agora. Vivemos um tempo de energia crística reinante e de acolhimento. Escrevo estas palavras para que como eu vocês possam sentir o que estão sentindo estes irmãos que estão encolhidos, lá embaixo, aguardando pelo nosso amor, a nossa mão amiga. Peço que se condoam por eles e lhes enviem palavras de força, pois não é fácil perceber que estávamos errados e ver todo o nosso mundo desmoronando as nossas voltas. Uma situação somente suportável se tivermos ao nosso lado amigos, família, seres amorosos que nos acolham para que juntos possamos recomeçar de novo, no amor, e tentar mais uma vez refazer os nossos caminhos, reescrever a nossa história. A todos os corações amorosos que leram até aqui, a minha gratidão.