Acessando outras dimensões

PUBLICADO EM: POR: Michaela

Tipo de video: Filme
Nome: Dr Strange (Dr Estranho)
Temporada: -
Episódio: -

"O domínio do (..) acesso é fundamental (..). Ele nos permite viajar através do Multiverso.
Tudo que você precisa fazer é ter foco. Visualize o destino em sua mente.
Enxergue além do mundo que se apresenta à sua frente.
Quanto mais clara a imagem mais rápido e facilmente o portal irá surgir."

No mundo real não é preciso possuir um anel de poder ou qualquer outra ferramenta para viajar através do Multiverso: o seu corpo já é equipado com todas as ferramentas que você necessita para acessar outras dimensões. Na verdade, o seu corpo é a ferramenta. Você não é o seu corpo, você é a consciência usando o seu corpo. Então se a sua consciência é o piloto, o seu corpo é a nave, o sistema de navegação, o mapa, o sistema de rádio-comunicação, o escudo energético de proteção, o sistema de dobra temporal e todos os demais sistemas que você necessita para acessar outras dimensões (e outras consciências).

O seu corpo é formado de muitos corpos e muitas partes e cada parte participa de uma forma, constituindo um sistema complexo de navegação e comunicação. Felizmente, o seu sistema é inteligente e as partes se "comunicam" sem que você necessite ter completa ciência de como cada uma funciona. Tudo que você precisa fazer é dar o comando com o seu Mental e o seu Emocional e todo o sistema irá interpretar a ordem e executá-la para você. Conhecer as partes do seu corpo será algo que acontecerá ao longo da aventura, à medida que você explora as suas muitas funcionalidades.

Diferente do filme, o portal multidimensional não abrirá fora de você para que você passe através dele. Ele se abrirá dentro de você e expandirá para fora, formando uma merkaba multidimensional ao redor do seu corpo, que lhe possibilitará acessar outras frequências de realidade. Para isto, a primeira coisa que você precisa fazer é decidir para onde você quer ir ou com quem quer se comunicar. Há muitas opções de lugares para se visitar, frequentemente você descobrirá que um bom lugar para se estar (e praticar) é dentro da sua própria frequência. Também é o lugar onde muitos dos seus amigos fora de Gaia irão esperar você estar para iniciar uma comunicação com você. Este local dentro da sua frequência é uma realidade de simulação, ou seja, uma realidade que você cria para entrar dentro dela. Ela existe, pois você estará nela, mas ela é habitada (inicialmente) somente por você. 

"- Não se pode vencer um rio sem submissão. Precisa render-se à correnteza e usar a força dela como sua.
- Controlar algo perdendo o controle? (...)
- Seu intelecto o levou longe na vida. Mas não levará você além de onde está. Renda-se Stephen, silencie o seu ego e o seu poder surgirá."

Stephen não acreditava na sua própria capacidade em abrir o portal. Ele acreditava que havia alguma coisa faltando nele, que o impediria de abri-lo, por isto não conseguia. A nossa Mente, o que acreditamos, o que tomamos como verdade para nós, dá o comando para o resto do nosso corpo para acessar ou bloquear funcionalidades e capacidades. Isto acontece porque a nossa Mente desconhece verdades ou mentiras, ela funciona exatamente como um computador, em termos de ativações e desativações. Uma crença limitante é um comando, uma informação de desativação que carregamos conosco e que bloqueia alguma área de nossas vidas. Igualmente há desativações benéficas para nós, como por exemplo acreditar que nada de ruim nos irá acontecer (leia mais sobre energia e interações energéticas).

Na linguagem do corpo Emocional, ativações e desativações se traduzem em emoções de alta e baixa frequência, da seguinte forma: uma emoção de alta frequência como alegria, gratidão, amor, segurança ou confiança ativam (permitem, abrem) uma determinada funcionalidade no seu corpo. Isto acontece pois o seu corpo, esta nave multifuncional que você está usando, entende que aquilo é benéfico para você. Emoções de alta frequência são expansivas. Da mesma forma, emoções de baixa frequência como dúvida, raiva, culpa ou medo bloqueiam (fecham, desativam) uma determinada função e criam uma barreira no seu campo energético contra a origem da emoção. Esta é, em realidade, a função das emoções de baixa frequência: a de defesa instintiva do Ser. Não existem emoções boas ou ruins, cada uma exerce uma função para o Ser. É o Ego que classifica uma emoção como boa ou ruim, mas cada uma tem uma utilidade, que devemos aprender a ler e interpretar livre de julgamentos. Só assim não estaremos nos apegando ou "tomando para nós" uma determinada informação, pois estaremos observando-a de fora do seu campo energético, mas sem entrar nele

Acessar outras dimensões e consciências depende de dar o comando Mental em conjunto com a permissão do corpo Emocional para abrir o acesso. É mais uma questão de permitir que a energia flua através de você do que ativamente querer forçar que alguma coisa aconteça. É um estado de permissão, de entrega. Se o "rio" que a Mestra menciona no vídeo for a energia Universal que flui através de nós, então o "controlar o rio através de perder o controle" será tornar-se um canal transparente, em que as águas deste rio possam fluir sem que o nosso Ego tente controlar a sua direção ou interferir com elas, pois toda emoção de tentativa de controle tem no fundo o medo e falta de confiança, que bloqueiam o canal.