O que é campo energético?

PUBLICADO EM: POR: Michaela

Somos um espírito, um fragmento de Alma, ocupando um corpo físico. Somos feitos de pura energia, que vibra, gerando informações e recebendo informações o tempo todo. Recebemos informação do Universo (pessoas, locais, etc) e processamos tais informações, "pegando-as para nós", ou as transmutando ou ambos.

As informações que chegam até nós, assim o fazem através de ondas de energia, que acessamos de acordo com a frequêcia a que estamos vibrando. Isto quer dizer que nós nos colocamos receptivos a um dado conjunto de informações, dando a nossa permissão para que tais informações e Seres nos acessarem (chegarem até nós) quando optamos por ajustar o nosso "rádio interno" à mesma frequência que a deles. O que nós estamos fazendo naquele momento é acessar um plano de existência, um conjunto de informações, de experiências para serem vividas, e assim passamos a interagir com este plano e com tudo e todos que estão nele naquele momento. Da mesma forma, também é nossa escolha mudar a nossa frequência para acessar um conjunto diferente de energias e Seres.

Quando, ao interagir com um dado plano de existência, guardamos em nossos corpos informações (em forma de energia) relacionadas às experiências que tivemos ali, estas informações passam a fazer parte de quem nós somos, integrando-se aos nossos chackras, corpos e personalidade. Estas informações de quem nós somos, que nos compõem, ficam sendo irradiadas de nossos corpos para o Universo e nos rodeiam, em forma de energia. Nós passamos a emitir uma vibração, uma onda de informação sobre nós, para fora do nosso corpo físico, para o Universo. Parte desta informação em forma de energia nos circula, e uma outra parte viaja através das dimensões, mesclando-se ao Universo, fazendo atrair pessoas e situações que estão na mesma frequência que nós ou repelir as que não estão. A estas informações que viajam através das dimensões chamamos formas pensamento. Às informações que permanecem conosco, nos circundando, chamamos de aura, chi, ou campo energético.

Estas informações que ficam armazenadas em nossos corpos sutis nem sempre podem vir de experiências que tivemos nesta vida ou em vidas passadas. Ao encarnarmos em uma família, nós aceitamos fazer parte de um campo energético compartilhado de ancestralidade e passamos a carregar as informações que existem neste campo. Uma pessoa pode carregar uma dada informação em seu campo energético e não se dar conta disto, até que uma situação ocorra em sua vida em que ela atente para este padrão energético. Neste momento, ela poderá fazer uma escolha: continuar carregando aquela informação ou "sobrescrever" aquela informação por outra que seja melhor para ela. É assim que liberamos padrões de comportamento e energias densas de nossas vidas, e passamos a vibrar em uma frequência diferente.

O nosso campo energético é como um "eco" do que nós somos naquele momento. Ele contém todas as energias que estamos carregando naquele instante de tempo e é mutável: à medida que nós mudamos, através de nossas escolhas e aprendizados, o nosso campo também muda.

Cada um de nós possui um campo energético pessoal e um campo energético para cada relação que estabeleceu com outra pessoa e/ou grupo de pessoas. Da mesma forma que no nosso campo pessoal, ao se estabelecer uma ligação energética com outra pessoa, cria-se um campo energético compartilhado entre ambas, que é alimentado por ambas as pessoas. Este campo compartilhado é como um baú de informações que as duas pessoas guardam umas das outras em relação a como sentem-se em relação à outra pessoa e das experiências que tiveram juntas. Como os campos energéticos são atemporais (existem independente do tempo), não importa há quanto tempo o campo foi criado, uma vez que ambas as pessoas se encontrem novamente irão acessar as informações de seu campo em conjunto. Se armazenaram ali informações boas, irão se sentir bem na companhia da outra. Caso contrário, irão acessar informações não harmoniosas em relação à outra pessoa, tendo então a oportunidade de transmutar, perdoar e liberar tais informações outrora armazenadas, adquirindo então uma nova chance de começarem uma relação de harmonia.