Eclipse de 16/09 no Atacama - Preparações

PUBLICADO EM: POR: Michaela

Depois do Encontro de Curitiba, fui guiada pelos mentores a seguir viagem para San Pedro do Atacama. Fazia meses que eu tinha visões de estar no deserto do Atacama e em Cusco. Nas minhas visões, eu sentia como se eu já estivesse nestes lugares. As visões aconteciam sempre em momentos em que eu estava trabalhando ou andando na rua, ou fazendo alguma coisa acordada. De repente eu me via naqueles lugares, nitidamente, como se estivesse lá, sentia o cheiro, o tato do vento, tudo exatamente como se fosse real (e era real). Eu estava saindo do tempo e bilocando para o meu Eu futuro que já estava nestes lugares. Nestas bilocações, eu tinha a sensação de que estávamos testando várias possibilidades de como as coisas poderiam acontecer, depois retornando ao tempo e fazendo de novo, de outras formas. Eu sempre me via sozinha, mas eu sentia que não estava sozinha, que tinham muitas pessoas lá comigo.

Faltando 1 mês para ir para Curitiba, eu pedi para os mentores me mostrarem o que eu iria fazer lá no Atacama, e eles mostraram na minha tela mental uma pirâmide azul etérea no meio do deserto. Depois esta pirâmide ficava toda branca e a luz dela irradiava para todos os lados. Ao fazer a mala para ir pra Curitiba, os mentores me instruíram a colocar o passaporte na mala e levar mais roupas. Mas foi só quando o Encontro terminou que eles me disseram para perder o vôo de volta para o Rio de Janeiro e me orientaram qual passagem comprar. Eu não tinha o trajeto da viagem, mas sabia em quais locais eu teria que estar e em quais datas importantes, e sabia mais ou menos por quais cidades eu teria que passar para chegar até elas. Sabia que os mentores iriam me guiar quando chegasse a hora.

Durante a viagem para o Atacama o meu canal abriu e eu consegui sentir outros trabalhadores da luz se movimentando por Gaia, para outros lugares. Todos nós fazíamos parte de um conjunto coeso, uma malha viva, e eu sentia também a agitação dos preparativos dos membros da Federação, que orietavam e ajudavam neste processo. Um mentor nos revelou que estas ativações fariam parte de um projeto para elevar a frequência de Gaia e que para isto bastaria que pelo menos 1 trabalhador da luz estivesse presente em cada local que deveria receber as energias de ativação para ancorar as energias para aquele local. São um conjunto de templos etéreos, pirâmides e cristais mestres no corpo de Gaia, posicionados em cima das linhas Leys, e estas ativações iriam acelerar o processo de cristalização e de ascensão não só de Gaia como de todos nós.

No dia do Eclipse, horas antes da ativação começar, eu comecei a me ver em dois lugares simultaneamente: no hostel em San Pedro de Atacama e no interior de uma nave. O meu Eu bilocado no interior da nave estava vestindo um vestido simples todo branco e estava sendo ajudada por membros da Federação para preparar o meu corpo. Eles colocavam na minha cabeça uma daquelas tiaras cristalinas que prendem com fios prateados ao redor da cabeça e com um cristal na frente do terceiro olho. Me dizem que é como um comunicador.

Eu via também Gaia sendo preparada. A via como uma mulher com uma coroas de flores na cabeça. Ela está sendo auxiliada por Seres para prepará-la para receber os downloads de energia.

No hostel, eu sinto uma forte energia na minha cabeça e sinto que devo expadir a minha aura para me unir aos Seres do Grande Sol Central de Gaia e o faço. Estamos todos ansiosos pelo momento que se aproxima e muito emocionados em ver finalmente este evento se materializando no plano físico, após tanto tempo de preparações. Consigo sentir os membros da Federação, inclusive o Comandante Ashtar, e vejo e sinto meus zelosos mentores ao meu lado esquerdo, brilhando uma intensa luz branca. No hostel, acontece uma mega operação de limpeza: vejo trabalhadores espirituais varrendo as densidades para fora e aos poucos a pousada começa a esvaziar. Também vejo todas as pessoas que optaram por permanecer na pousada sendo tratadas, preparadas. Toda a preparação do local está sendo feita de forma calma, amorosa. De vez em quando um dos trabalhadores passa por mim, onde estou sentada, e sorri pra mim.

Uma cúpula azul de proteção é colocada em cima e ao redor de toda a pousada e eu vejo uns Seres da Federação montando guarda na entrada da pousada. Eles parecem mouros, são morenos, estão vestindo uma roupa que parece a de cavaleiros das cruzadas, com muitos detalhes e um cinto dourado e marrom prendendo na cintura e botas. Na cabeça usam uma espécie de capacete vazado e seguram na mão um bastão muito longo, da altura deles.

Os 3 gatos da pousada que haviam começado a ficar agitados quando a limpeza começou agora caíram no sono e eu vejo um deles, o gato branco, só que muito maior em tamanho, montando guarda no interior da pousada no plano etéreo.