Projeção Mental

PUBLICADO EM: POR: Michaela

Esta experiência é de 19 de março de 2015.

Eu tive um sonho diferente esta noite. E ao mesmo tempo, sei com certeza, com toda certeza que posso ter, que não foi um sonho, que esta experiência aconteceu de verdade.

Fui dormir. A maior parte da noite foi normal, com sonhos normais, mas num determinado momento, a cena do sonho que eu estava tendo foi interrompida e eu me vi dentro de um táxi. Não pude ver quem estava dirigindo, eu estava sozinha no banco de trás. Olhei pra cima e vi que o táxi não tinha teto. Estendi as mãos para o alto e senti que saía do táxi e flutuava no ar. Era uma sensação muito boa, de leveza e liberdade.
Eu estava ali, flutuando, mas a minha mente não estava. Não haviam pensamentos, não haviam preocupações, nem dúvidas, nem mesmo certezas, nada. Eu somente ERA naquele momento.

Imagine-se sem a sua mente, imagine-se sem pensar nada, somente sendo. Nem sentir eu sentia. Eu estava muito leve, e era bom. Ouvi uma voz que falava comigo. Ela dizia:

“Você se lembra quando você flutuava no infinito?
Você se lembra quando você era UM com TUDO?
Você se lembra de quando você se alimentava do SOL?”

Enquanto a voz ia falando, eu ia sentindo, somente sendo, sem pensar, sem o peso dos pensamentos em mim. Naquele momento eu somente era, e mais nada. Num momento seguinte, eu estava despertando e de volta ao meu velho Ser e pude comparar as duas sensações, de como os pensamentos pesam dentro do nosso corpo, de como ter uma mente pensante parece pesar.

Eu vi um relato de projeção Mental uma vez, em que a pessoa sai do seu corpo Astral com o seu Corpo Mental. No caso, a pessoa deixa para trás dois corpos: o físico que fica dormindo na cama e o Astral que fica flutuando em cima do corpo físico. Como uma daquelas bonecas holandesas que são várias bonecas uma dentro da outra. Não sei se foi isso que aconteceu comigo, mas a sensação que eu tive "saindo pelo teto do táxi", como o meu Eu simbolicamente interpretou, parecia ser bem isso, que eu estava saindo de dentro da minha própria cabeça.